Acampamento pró-Lula é atacado com rojões em Curitiba

Homem de moto disparou os rojões do Viaduto do Capanema, vizinho ao acampamento

Professor Maion Costa se queimou levemente com o ataque de rojões no acampamento

Os integrantes de movimentos de esquerda que estão acampados no terreno ao lado da Rodoferroviária em Curitiba para acompanhar o depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro na Operação Lava Jato foram alvos de ataques na madrugada desta quarta-feira (10). Segundo relato dos manifestantes, um homem encapuzado disparou rojões de cima do viaduto do Capanema, vizinho ao terreno, por volta da meia-noite e atingiu uma das barracas.

Guia da quarta-feira de protestos: veja de onde desviar

Maicon Costa, professor do acampamento do MST de Quedas do Iguaçu, no Oeste do Paraná, prestar solidariedade a Lula, ficou ferido levemente e precisou ser encaminhado ao hospital. Ele teve queimaduras leves nos braços e nas costas e já recebeu alta e voltou ao acampamento. Além dele, ninguém mais ficou ferido. “Eu estava dormindo quando o rojão queimou a barraca e estourou do meu lado. Foi um susto enorme. Estou meio surdo até agora”, relata Maicon.

O professor pretende registrar Boletim de Ocorrência na Polícia Civil ainda nesta quarta-feira. Antes do ataque que atingiu Maicon, outros dois homens de moto também haviam atacado o acampamento com rojões.

COMPARTILHE